Área do Aluno

Área do Aluno

Instituição Educacional e Religiosa

Santa Paula Frassinetti

Mesmo tendo vivido no século XIX, a fundadora da Congregação das Irmãs de Santa Doroteia tem uma história de vida que permanece atual e inspiradora em pleno século XXI.

Paula Ângela Maria Frassinetti nasceu em Gênova, Itália, em 3 de março de 1809, em uma família modesta. Perdeu a mãe aos 9 anos e cresceu na companhia do pai e de quatro irmãos que se tornariam sacerdotes.

A aparência e a saúde frágil de Paula não combinavam com a grandeza e a força de seu espírito. Exemplo disso é ilustrado na visita ao seu irmão mais velho, José Frassinetti, pároco da aldeia de Quinto al Mare: em vez de cuidar da própria saúde, Paula fundou uma escola paroquial para crianças pobres.

O trabalho da jovem Frassinetti chamou a atenção das meninas locais, aflorando a vocação religiosa delas, e no dia 12 de agosto de 1834, Paula fundou a Comunidade Religiosa Filhas da Santa Fé. Posteriormente, ao assumir uma obra apostólica já existente, adotou a denominação de Irmãs de Santa Doroteia.

Muitas são as passagens verdadeiramente heroicas da vida de Paula Frassinetti. São fatos que contribuíram para aumentar a confiança dos que se comprometiam com seus ideais apostólicos.

Em 1835, quando a cólera grassava de forma devastadora e mortal na Itália, Paula e suas companheiras trataram dos doentes, sem que nenhuma das religiosas ou alunas fossem atingidas pelo mal.

Outra passagem que expressa a coragem, a firmeza e a proteção divina de Paula Frassinetti aconteceu em 1839, quando uma tempestade devastava a região de Rivarolo, onde havia uma casa das Irmãs. Madre Paula enfrentou o temporal, e não deixou de partir em socorro das Irmãs e alunas da casa. Ao cruzarem um rio – tendo o cavalo que lutar contra a correnteza para manter a carruagem -, elas conseguiram realizar a transposição, segundos antes do rompimento do dique. O condutor da carruagem expressou sua certeza de que, naquele momento, conduzia uma santa.

Em viagens marítimas de grande risco, as Doroteias sempre se sentiram alvo de especialíssima proteção dos céus, mediante segurança e salvaguarda, por todo o percurso, até chegarem ao seu destino. E essa proteção também foi percebida em um episódio no ano de 1848: em meio a um intenso tiroteio, no Gianícolo, nas proximidades do Vaticano, seu colégio não foi minimamente atingido.

O trabalho se expandiu por várias localidades italianas. Depois de estabelecer a Casa Geral em Roma, Paula enfrentou corajosamente as perseguições e as guerras do período de unificação da Itália. Mas sua obra saiu fortalecida. Em 1866, as Irmãs chegaram ao Brasil e, logo depois, a Portugal. Hoje, as filhas de Santa Paula Frassinetti desenvolvem ações educativas e sociais nos cinco continentes.

Em 11 de junho de 1882, depois de 73 anos de vida consagrada a Deus e à educação, Paula Frassinetti morreu em Roma. Em 8 de junho de 1930, foi beatificada pelo Papa Pio XI. Em 11 de março de 1984, foi canonizada pelo Papa João Paulo II.

Reproduzir vídeo

SOR - Serviço de Orientação Religiosa

O SOR – SERVIÇO DE ORIENTAÇÃO RELIGIOSA, desenvolve um processo de crescimento na fé em Jesus Cristo, presente no meio em que vivemos, marcado pela acentuada desigualdade social, individualismo, carência de valores e violência crescente, tendo em vista uma comunidade viva de Justiça, amor e fraternidade, expressão da Boa Notícia do Reino. Assim:

• Constrói e vivencia os valores que humanizam e libertam, para realizar aquele modo de ser, simples  e  familiar, que caracteriza a família de Paula (Educar para nós…);
• Desenvolve no Colégio um clima permanente de evangelização, segundo o carisma de Santa Paula envolvendo toda a comunidade educativa;
• Busca a conversão e transformação da comunidade educativa no seu modo de pensar, sentir e agir direcionados para a construção de um mundo justo, fraterno e solidário;
• Vivencia constantes discernimentos sobre questões atuais e sob a ótica cristã católica com vistas a um Novo Milênio sem exclusões;
• Anuncia explicitamente Jesus Cristo de modo sistemático e programado: Formação Humana e Cristã, Celebrações Litúrgicas e outros;
• Vivencia a Pastoral da Igreja e da Província;
• Apoia e incentiva a Pastoral da Juventude e Vocacional.

PJE - Pastoral da Juventude Escolar

A Pastoral da Juventude Escolar é viabilizada principalmente,
pela existência dos grupos de jovens que acolhem os interessados em alimentar sua vivência religiosa e crescer na fé. Os trabalhos são coordenados pela Professora Mara Cristina Pereira Marques,  e estendeu sua amplitude à comunidade local, em projetos de Evangelização e valorização  da vida.

Formação de Educadores

A Igreja do Concílio Vaticano II, numa “renovada efusão do Espírito de Pentecostes, amadureceu uma consciência mais viva da sua natureza missionária e ouviu de novo a voz do seu Senhor que a envia ao mundo como sacramento universal de salvação… Ide vós também. A chamada não diz respeito apenas aos Pastores, aos sacerdotes, aos religiosos e religiosas, mas estende-se aos fiéis leigos: também os fiéis leigos são pessoalmente chamados pelo Senhor, de quem recebem uma missão para a Igreja e para o mundo… De um modo especial o Concílio, com o seu riquíssimo patrimônio doutrinal, espiritual e pastoral, dedicou páginas maravilhosas à natureza, dignidade,espiritualidade,missão e responsabilidade dos fiéis leigos. E os Padres conciliares, feitos eco do chamamento de Cristo, convidaram todos os fiéis leigos, homens e mulheres, a trabalhar na Sua vinha…
Trabalhadores da vinha são todos os membros do povo de Deus… todos e cada um trabalham na única e comum vinha do Senhor com carismas e com ministérios diferentes e complementares… O estado de vida laical tem na índole secular a sua especificidade e realiza um serviço eclesial ao testemunhar o significado que as coisas terrenas e temporais têm no desígnio salvífico de Deus.”(Exortação Apostólica Christifideles Laicide João Paulo II sobre a Vocação e a Missão dos Leigos na Igreja e no Mundo. Roma, 30 de dezembro de 1988).
“A comunhão vivida na comunidade educativa, animada e apoiada por leigos e consagrados plenamente unidos na mesma missão, faz da escola católica um ambiente comunitário imbuído de espírito do Evangelho. Mas, este ambiente comunitário configura-se como lugar privilegiado para a formação das jovens gerações para a construção de um mundo fundado no diálogo e para a busca da comunhão, mais do que na contraposição; na convivência das diferenças e não na oposição. Desta forma, a escola católica, inspirando o seu projeto educativo na comunhão eclesial e na civilização do amor, pode contribuir em grande medida para iluminar a mente de muitos, para que surjam homens verdadeiramente novos, artífices de uma nova humanidade”. (Congregação para a Educação Católica. Educar juntos na escola católica missão partilhada de pessoas consagradas e fiéis leigos. Roma, 8 de setembro de 2007).
O texto conclusivo da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe – 13 a 31 de maio de 2007 – Documento de Aparecida, na página 264 diz que “Nesta hora em que a Igreja deste Continente se entrega plenamente à sua vocação missionária, lembro aos leigos que são também Igreja, assembléia convocada por Cristo para levar seu testemunho para o mundo inteiro.

… Devem sentir-se co-responsáveis na construção da sociedade segundo os critérios do Evangelho, com entusiasmo e audácia, em comunhão com os Pastores… 

… São chamados para levar ao mundo o testemunho de Jesus Cristo e ser fermento do amor de Deus na sociedade.”

Na mensagem dirigida aos leigos por ocasião do Capítulo Geral XIX, em Roma, no ano de 2003, as Irmãs Doroteias da Frassinetti, movidas pelo Espírito Santo, se pronunciaram: “Reconhecemos, com profunda alegria e gratidão, a presença ativa e o compromisso de todos no caminho percorrido, sobretudo no interesse pelo estudo dos documentos das nossas origens que suscitou, em muitos, o desejo e o entusiasmo pela espiritualidade de Santa Paula…estamos certas de que, em todos os ambientes em que nos encontramos, continuaremos, com a mesma paixão educativa, a viver e a trabalhar juntos, para que, como Família de Paula, possamos ser presença-palavra-ação transformadora e significativa no mundo ferido de hoje”.
Em 2009, no XX Capítulo Geral, a Congregação reassume, numa nova perspectiva, a partilha do Carisma de Paula Frassinetti com os Leigos e com as Leigas, consciente de que “o Carisma não é apenas pertença da Congregação, mas um dom à Igreja para o mundo, para quem nele encontra uma fonte de inspiração para descobrir e assumir a sua vocação laical na Igreja”.
A Escola para Formação Permanente de Leigos Educadores surge, então, neste ano de 2011, proveniente da necessidade de, como Família Doroteia, organizarmo-nos mais sistemática e academicamente para a formação continuada dos leigos das escolas da Província Brasil-Sul com o intuito de, perfilados no Carisma de Paula Frassinetti, darmos continuidade à Missão das escolas, com excelência acadêmica e coerência na opção de Escola Católica.
Portanto, a proposta da Escola para Formação Permanente de Leigos Educadores é constituída:

• de um itinerário de formação, composto de três etapas que buscam favorecer a integração, a inserção, e a opção dos leigos na missão educativa doroteana. Estas etapas são desenvolvidas nos níveis local e provincial. São elas:
-Primeira etapa – À Luz do Farol – nível local

– Segunda etapa – À Sombra do Frássino – nível local

– Terceira etapa – À Beira do Poço – nível provincial

• e um processo gradual de aprofundamento no qual o leigo é protagonista de sua própria formação, assumindo a sua missão de educador doroteano;

• e uma experiência pessoal e comunitária de fé na qual  e pela qual fortalece e confirma a sua pertença à Família Doroteia.

A Escola para a Formação Permanente de Leigos Educadores pretende ser um instrumento de pesquisas, estudos, troca de ideias, reflexão, que favoreça o conhecimento sobre a identidade do Carisma de Paula Frassinetti, que defina, com clareza, a vocação do Leigo Doroteano.

Escola para Formação Permanente de Leigos Educadores

Perfilada no Carisma de Santa Paula Frassinetti, fundadora da Congregação das Irmãs de Santa Dorotéia, a Escola para Formação Permanente de Leigos Educadores dedica, sistemática e academicamente, à formação continuada de leigos e leigas das comunidades da Província Brasileira. O projeto visa dar continuidade à missão das suas Escolas, com excelência acadêmica e coerência na opção de escola católica.

Crisma

Os alunos têm a oportunidade de aprofundar sua compreensão da religião e fortalecer seu compromisso com os valores cristãos. Com uma abordagem acolhedora e inclusiva, a crisma no Colégio Paula Frassinetti oferece aos estudantes um espaço para refletir e se conectar com sua espiritualidade.

Terço todas as Quintas,
às 17h30

Venha participar do terço que acontece todas as quintas-feiras na capela do colégio. Vamos compartilhar juntos este momento de oração e louvor.

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá
Podemos ajudá-lo?